O agrupamento 320 Évora regressou às atividades presenciais trazendo aos seus elementos uma alegria que nenhuma máscara consegue alguma vez esconder...

O Escutismo é uma constante oportunidade de superação, renovação, de vida e reforço da Promessa. Os tempos de dificuldade não podem comprometer o que somos, o que fazemos e a forma como tocamos a vida dos nossos adultos, jovens e crianças.

Tal como todos os Agrupamentos do CNE, também o agrupamento 320 de Évora procurou fazer escutismo, mesmo em tempo de pandemia. O trabalho do Agrupamento, sobretudo dos seus Recursos Adultos (onde orgulhosamente incluem os pais dos seus Lobitos e Escuteiros), não parou nunca. A mediação entre os elementos, separados pela distância física imposta, abriu a caixa e convidou a pensar fora dela. O acompanhamento às celebrações na paróquia foram um grande SIM. Os esforços foram múltiplos de todos, mas agora, com o regresso da dinâmica presencial, surgiram novas preocupações para todos.
O agrupamento começou, ao desconfiar, por realizar as suas promessas. Transformaram espaços e confirmaram com amor que a Promessa é sobretudo encontro pessoal em Cristo Vivo, testemunhado por aqueles que nos são próximos e que nos ajudam a crescer. Promessas em campo, para os que se haviam preparado e aceitaram o desafio de prometer em tempos novos. Depois? Bem depois é o Escutismo a acontecer de regresso a casa, à Natureza, ao espaço aberto, amplo e que convida ao encontro simples, original, edificante.
Acampamentos de Patrulha/Equipa, raides de bicicleta, atividades de sobrevivência e de cozinha selvagem, preparação da sede. Tudo isto traz nova vida e essa vida nos nossos escuteiros…bem, é de uma alegria que nenhuma máscara consegue alguma vez esconder…

Texto de: Mocho Poeta . Fotografia de: Agrupamento 320 Évora.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Caminheiros em preparação de atividade

Agr 1041 continua a viver o Escutismo

Foi no Verão que foi levantada, em quase todo o país, a suspensão das atividades semanais dos agrupamentos. Foram muitos os que quiseram retomar as atividades de imediato, com as devidas restrições. Um desses agrupamentos foi o 1041 Caranguejeira

Acampamento clã - agrupamento 479 Alfena

Agr 479 e a fórmula de viver o Escutismo.

Estes últimos meses ficaram marcados pelo regresso aos hábitos escutistas. Novos tempos exigem novas dinâmicas e comportamentos. Assim fez o Agrupamento 479 Alfena para conseguir regressar às atividades presenciais

Agrupamento 551 Cepões.

A sensação de renascimento do Agr. 551

Após um período de confinamento, é sempre difícil retomar o ritmo e as rotinas de antes. Não só porque, sem querer, a falta de atividades nos afastou, mas também porque o vírus ainda não desapareceu e o risco continua a ser enorme.