O Caminheiro Aníbal Fernandes concluiu o seu percurso como escuteiro no Agrupamento 18, Região de Bragança-Miranda e celebrou solenemente a sua partida no sábado, dia 15 de julho.

A Partida é um envio e o reconhecimento das vivências do Caminheiro, por parte do seu Clã, e em quem deposita a sua confiança, aquele que, ao longo da sua caminhada na seção, provou viver plenamente os valores escutistas.
O Caminheiro que parte e que é enviado, é alguém em quem se reconhecem qualidades
escutistas, humanas e cristãs, que lhe conferem maturidade para poder tomar decisões por si próprio, de maneira adulta e responsável.
E o Aníbal foi sempre um escuteiro empenhado, atento, assíduo e cumpridor. Muito cordial e de trato fácil, possuidor de uma cultura acima da média e muito versátil.
Ao longo do seu percurso escutista foi adquirindo competências e conhecimentos que o
tornaram num escuteiro completo e num cidadão exemplar. Destacamos a sua capacidade de acolhimento e de inserção em grupo e o seu apurado espírito de equipa e de bom humor. Por seu lado, há que realçar a sua cultura e vivência religiosa, sempre que havia uma cerimónia lá estava ela pronto a organizar, a colaborar e a servir como acólito.
O Aníbal escuteiro foi também sempre um elemento da comunidade. Estudante aprumado e diligente, lutador, interventivo e defensor de causas, estendeu a sua ação e participação na vida associativa, académica e política, e sem descurar as suas responsabilidades, concluiu, há pouco, a sua licenciatura em Direito pela Universidade Católica do Porto. Parabéns Sr. Dr. Aníbal Fernandes!
Tal como a Universidade, o Clã Universitário do Porto serviu-lhe de “Porto de Abrigo”, onde foi muito bem acolhido, e as vivências no seu seio ajudaram-no a crescer, a conhecer pessoas fantásticas, e onde encontrou amigos do coração. No seu dizer, foram 4 anos maravilhosos e muitos preenchidos.
Com a mochila, vara bifurcada, tenda, bíblia, vela acesa e pão – símbolos da sua prontidão, serviço e dedicação aos outros, da sua orientação para o bem, e do seu alimento físico e espiritual, o Caminheiro Aníbal recebeu então, antes de partir, a bênção dos Assistentes do Agrupamento.
O Chefe Regional, Luís Adelino Batista aproveitou o momento para lhe entregar um mais que merecido Nó de Mérito pelos serviços prestados ao CNE. Mais que a condecoração, o que vale mesmo é o teu exemplo como escuteiro e como ser humano que és. Essa é a melhor recompensa para ti e para quem convive contigo.
O Assistente, Pe. Estevinho Pires, ofereceu-lhe um quadro pintado da Mãe, para estar mais perto do Filho.
No seu discurso de partida, o Caminheiro Aníbal lembrou vivências do seu percurso e pessoas que influenciaram a sua vida escutista referindo-se sobretudo aos seus colegas caminheiros e em especial ao Chefe Hernâni Portugal, designadamente pelo carinho e entrega abnegada ao escutismo. Deixou também um agradecimento especial aos seus pais, António e Conceição, pela presença constante, incentivo, paciência e disponibilidade para o acompanharem sempre.

Ainda neste verão, o Caminheiro Aníbal irá participar na iniciativa ACANAC mais cedo – um desafio ao serviço, para ajudar a preparar as estruturas para o Acampamento Nacional do Centenário do CNE que irá decorrer entre 1 e 7 de agosto, e no próprio ACANAC.
Diz-nos também que não esquece o que aprendeu, os amigos que fez, as emoções que viveu e que um novo desafio se avizinha: É que vai continuar a sua missão ingressando Fraternidade Sacerdotal de S. Pedro, e vai frequentar o Seminário Internacional de S. Pedro em Wigratzbad, na região da Baviera, na Alemanha. Uma excelente notícia para o escutismo, para Região e diocese de Bragança-Miranda e para a nossa comunidade.
Deixamos aqui uma mensagem para o nosso Caminheiro: Aníbal, que Deus te conceda a graça de perseverares no compromisso da Partida e te conserve sempre jovem. Não esqueças que a divisa do Caminheiro é «Servir». Esperamos que a ponhas em prática ao serviço do próximo. Para tal tens vindo a preparar-te ao longo do tempo.
Parabéns, Mocho Animador, e uma canhota apertada. Felicidades, muito ânimo e até breve!

Texto e fotografia: Miguel Miranda