“Em cada grito de equipa ganhamos um ânimo novo…”: o segundo dia no CNAE

O tocar do despertador interrompeu momentaneamente o som dos cucos e dos grilos que embalavam o sono dos nossos escuteiros. Pelas 7h30 da manhã soou a sineta e iniciaram-se as primeiras provas.

Ao longo do dia os pioneiros realizaram um total de 13 provas tais como corridas de obstáculos, nós e amarrações, orientação, socorrismo, escalada, froissartage, códigos e cifras, entre muitas outras. Ao longo das diversas provas, o desinfetar de mãos e o distanciamento social tornaram-se parte da rotina.

Já depois do almoço, durante a hora do calor, tiveram a possibilidade de frequentar diversos workshops sobre temáticas como Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, Flor de Lis, Jovens Porta-Vozes, Jamboree, Projeto Bolota, Direitos Humanos, manufatura de pulseiras de fibra natural e anilhas e como fazer um currículo. Sobre estes workshops a equipa D. Afonso Henriques do agrupamento 1339, de São Bartolomeu de Messines confidenciou-nos: “no início achámos que era melhor ficar a dormir, mas quando fomos para lá  foi uma coisa engraçada, conseguimos aprender algumas coisas novas, foi divertido (…) refletimos sobre algumas partes da sociedade não só em Portugal, mas também no mundo”. O workshop sobre os Direitos Humanos foi dos que teve “mais teve significado, aí pudémos ter a noção de que os países são diferentes e que as diferentes culturas tratam as pessoas de outros sítios de maneiras muito diferentes que não são as melhores”.

Seguiu-se o momento de confecionar o jantar e repor energias no tão aguardado saco-cama.

Texto: Carolina Figueiredo

Fotografia: Matilde Gonçalves

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin