Está na hora…

Um novo ano escutista está à porta, e será um momento de reencontros, reorganizações e muita animação!

A maior parte dos agrupamentos costuma iniciar o ano escutista com o momento das Passagens de Secção e, seguindo alguns princípios pedagógicos, deveremos ter em conta:

Segurança – É importante que as Equipas de Animação garantam as devidas condições de segurança para cada reunião/atividade que irá ter lugar, o que implica que estas estejam explícitas nos planos de reuniões e atividades e sejam partilhadas com os encarregados de educação.

Versatilidade – As Equipas de Animação, se assim for necessário, devem adaptar a frequência e a duração das reuniões de Patrulha, adaptando-se sempre às circunstâncias e necessidades da Unidade/Agrupamento, tendo sempre em vista o que é melhor para os escuteiros.

Aplicação do Método Escutista – O método escutista deve ser aplicado e adaptado à realidade de cada Unidade/Agrupamento.

Manutenção dos ritmos e calendários habituais do ano escutista – Ao iniciar o novo ano escutista, os ritmos normais do calendário devem ser mantidos (Passagens de Secção, Partidas, Promessas e Investiduras…)

De seguida, apresentamos algumas propostas para atividades/dinâmicas já enraizadas nos nossos planos, de forma a desbloquear este início de atividades, que acreditamos ser imprescindível e essencial para os nossos jovens. Com isto, não pretendemos esgotar a criatividade das Equipas de Animação, que acreditamos serem capazes de, tendo em conta as realidades locais, encontrarem melhores atividades e propostas do que as apresentadas.

Passagens de Secção

Podemos propor algumas dinâmicas para os agrupamentos realizarem este importante momento na vida dos jovens.

Se todo o agrupamento puder reunir ao ar livre, este é um bom momento para ser entregue a insígnia do Início de Pista.

Os elementos que vão passar podem realizar um jogo de pistas, pista de obstáculos para passagem entre cada secção ou uma caça ao tesouro. Os elementos devem ser recebidos pelos guias de Unidade e pelo guia da Patrulha/Equipa.

Partida dos Caminheiros

A Partida dos Caminheiros poderá ser realizada, seguindo o ritual próprio. A mesma pode ocorrer durante a Eucaristia ou na Igreja (momento próprio para o agrupamento), seguindo as regras da cerimónia de partida para estes momentos/espaços, ou ao ar livre.

Sistema de Patrulhas

O Conselho de Guias

DICAS:

– Reunir com mais frequência, tendo em conta as suas competências, reforçando a importância do guia na interiorização de boas práticas e na dinamização da Patrulha. A composição deverá ser ajustada consoante a realidade da Unidade (Guias + 2 animadores, guias + sub-guias + 2 animadores,…).

– No caso de não haver possibilidade de juntar todos os elementos da Unidade, compete ao Conselho de Guias garantir a união desse conjunto.

Reunião/Atividade de Patrulha

DICAS:

– Privilegiar a autonomia das Patrulhas, acompanhando-as sem ter de participar nas reuniões.

– Os jogos, dinâmicas e workshops devem ser valorizados e escolhidos tendo em conta os princípios pedagógicos já referidos e a preferência das Patrulhas. Os escuteiros devem ser envolvidos na escolha/definição dos jogos.

Vida na Natureza

A Natureza sempre foi e será o espaço privilegiado para o desenvolvimento das nossas atividades. Aplica-se a todas as atividades, desde uma simples reunião até ao momento de excelência que é o acampamento. Recomendamos a utilização de espaços, tais como os nossos Campos e Centros Escutistas, preparados para receber as Unidades ou Agrupamentos.

Relação Educativa

DICAS:

– Reforçar a atenção aos escuteiros, aos seus comportamentos e à realidade familiar.

– É importante que os animadores não intervenham nas reuniões/atividades de Patrulha, podendo existir momentos de ausência pedagógica, desde que a mesma não coloque em causa as regras de segurança. A autonomia dos escuteiros deve ser avaliada e tida em conta, de modo a perceber o grau de ausência pedagógica que podemos ter – acompanhar sem perder a Patrulha da nossa vista ou mesmo realização de atividades sem a presença direta do Dirigente (raides, hikes, jogos de vila/cidade,…).

Não nos referimos a todos os elementos do método escutista neste artigo, mas podem saber mais nos documentos pedagógicos da Secretaria Nacional Pedagógica, Devemos ter sempre em mente que a missão do Escutismo é contribuir para a educação dos jovens, através de um sistema de valores baseado na Promessa e Lei escutistas, ajudando a construir um mundo melhor onde as pessoas são realizadas enquanto indivíduos e desempenham um papel construtivo na sociedade.

Bom regresso às atividades!

Texto: Cláudia Xavier, adaptação do artigo “Está na hora” da Secretaria Nacional Pedagógica, publicado na Flor de Lis em Setembro de 2020

Fotografia: Arquivo CNE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Website protegido por reCAPTCHA. Aplica-se a Política de Privacidade e os Termos de Serviço da Google.

Trabalho conjunto entre CNE e MSC

O Seminário Torre D’Aguilha acolheu no fim de semana a Cimeira Ibérica e ainda o encontro no âmbito projeto de Proteção na Infância.

Portuguese Work Party está de volta

Passados três anos desde a última edição, a Portuguese Work Party está de volta! Esta atividade épica realiza-se na Suíça, no Kandersteg Internacional Scout Centre (KISC).