Mercado Internacional: Até onde irias por um sonho?

O Mercado Internacional realizou-se neste fim de semana, 5 e 6 de novembro, na cidade do Porto. Muitos foram os escuteiros que partilharam os seus sonhos.

A praia de Matosinhos, no Porto, recebeu mais de 500 escuteiros que marcaram presença em mais uma edição do Mercado Internacional. Foi este o local escolhido para iniciar esta atividade que, como indica Joana Vicente, responsável pela organização do Mercado Internacional é um «local privilegiado para pensarmos e sonharmos alto».

O imaginário desta atividade centrou-se numa personagem: Um idoso que começou a sonhar muito cedo no sonho de construir e voar num balão. Foi este o ponto de partida para que os participantes fossem desafiados a viver e a realizar os seus sonhos.

Na manhã de sábado, escuteiros de todo o país, viveram as dinâmicas internacionais, por secção: Os lobitos estiveram na praia de Matosinhos, os exploradores no Forte de São Francisco Xavier e os Pioneiros e Caminheiros no Parque da Cidade do Porto. Na tarde de sábado, todos se juntaram no Parque da Cidade, viveram ainda mais a dinâmica internacional, com vários oradores, workshops e dinâmicas que lhes permitiram sonharem ainda mais além.

Para a secretária nacional dos projetos, Inês Graça, a participação no Mercado Internacional tem uma importância transversal a todas as secções « A ideia do mercado é alargar o conhecimento e a vivência internacional a todas as secções e que todos os jovens possam ter atividades internacionais dentro do CNE». A vivência internacional é algo experienciado por todas as secções, exemplo disso foi a participação de várias alcateias nesta atividade. Como destaca Inês Graça « É importante que os próprios lobitos consigam ter a perceção da dimensão internacional do escutismo e consigam perceber que pertencemos a um movimento mundial, que somos um bocadinho de algo muito maior… E que tenham essa perceção não só nos caminheiros, ou pioneiros, mas desde os lobitos.  A dimensão internacional é para todos. Tragam sonhos e avancem. Descubram uma forma de concretizá-los».

A noite reservou uma festa temática aos participantes onde, como explica a Joana Vicente, se «viveu o sonho de um balão que caiu na festa de São João e também onde se partilhou essa chama quente de uma noite de São João».

«É um grande sonho que nós temos que realizar todos juntos»

A manhã de domingo foi dedicada à ousadia de sonhar. Os participantes do Mercado Internacional foram divididos em grupos e visitaram a Torre dos Clérigos, o museu de História Natural e o museu da Cidade. Foram ainda desafiados a pensar onde é que seria a sua atividade internacional e como a poderiam concretizar.

A Rita, lobita do agrupamento 1361, participou no Mercado porque quer «viver experiências novas. Aprendi que tenho que tentar muitas vezes para conseguir o que quero». Quanto a sonhos, esta guia dos guias diz que o sonho da sua alcateia é ir a «Paris, para irmos à Disney”.

Em outra perspetiva, a Francisca do agrupamento 419 explicou que gostou muito da atividade, porque «está a dar-nos ideias de atividades futuras e a abrir-nos os horizontes. Estamos a aprender coisas que nós nem fazíamos ideia de como eram. Estamos a gostar muito e queremos ir a Kandersteg e, pelas coisas que nos estiveram a explicar, essa ideia está cada vez mais real. É um grande sonho que nós temos que realizar todos juntos».

Conhece um pouco do que foi o Mercado Internacional na fotogaleria!

 

 

Texto: Cláudia Xavier

Fotos: Gonçalo Pinto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website protegido por reCAPTCHA. Aplica-se a Política de Privacidade e os Termos de Serviço da Google.