“Oceanos, Mares que Ligam” foi o tema do Jota Joti 2022

Terminou mais uma edição do Jota Joti. Esta atividade junta escuteiros de todos os cantos do mundo, unidos através de um ideal com o objetivo de comunicarem através de rádio ou internet.

A tradição está implementada: O terceiro fim-de-semana de outubro é dedicado ao Jota Joti.

Esta atividade internacional, que em Portugal continua a juntar muitos agrupamentos, realizou-se entre os dias 14,15 e 16 de outubro, com o tema “Oceanos, mares que ligam”, com ligação aos objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS). A estação nacional foi recebida pelo Centro Escutista Padre Horácio Cura, onde os participantes foram acolhidos pelo agrupamento 970 São Pedro da Palhaça e a Região de Aveiro.

Esteve presente o Chefe Nacional do Corpo Nacional de Escutas (CNE), Ivo Faria, que fez a habitual mensagem de abertura e explicou à Flor de Lis que o Jota Joti é «uma atividade onde os nossos miúdos conseguem estar a trabalhar, a crescer, a conviver uns com os outros, e ao mesmo tempo ligados ao mundo. Em termos nacionais, com a capacidade de conhecermos outras regiões, conhecermos outros agrupamentos, outros campos escutistas – Como este da Palhaça que é fantástico».

Para José Rodrigues, Secretário Nacional do Ambiente e Sustentabilidade, responsável pelo Departamento de Radioescutismo, que referiu que o Jota Joti é atividade de excelência deste departamento e que é «uma oportunidade de colocar um vasto número de jovens a trabalharem estas áreas da comunicação» paralelamente são organizadas atividades que são «uma riqueza pedagógica da formação para a paz, que é um objetivo primordial para o escutismo, e esta oportunidade de falarmos entre comunidades de vários países, e darmos a todos estes jovens a oportunidade de comunicarem e contactarem e a riqueza de chegar tão longe com a nossa voz… É um momento excelente para os nossos jovens».

«É uma atividade marcante que fica na história da região»

Para o chefe regional de Aveiro, José Carlos Santos, «é sempre motivador para uma região, que tem estado envolvida várias vezes nas iniciativas nacionais, receber este tipo de iniciativa, porque é bom para nós percebermos que Aveiro é uma referência a nível de escutismo. Se tal não fosse, não capitalizaria esta vontade dos órgãos dirigentes nacionais de trazer para aqui este tipo de atividades que são marcantes. Estamos em tempo de Centenário e é uma atividade que fica na história da região». José Carlos Santos frisou ainda que «realizamos este Jota Joti com muito gosto e todos se vão divertir, de certeza absoluta».

Por sua vez, a Carolina, lobita do agrupamento 1396, Oliveira do Bairro explicou que a atividade foi «muito divertida. De manhã gostei muito, conseguimos fazer todas as atividades e acho que já sei mais ou menos as coisas que aprendemos!». Para o Gabriel, pioneiro do agrupamento da Carolina «todos os jogos têm sido muito originais, relacionados com o tema da atividade».

Por todo o país muitos foram os agrupamentos que viveram a essência desta atividade. Fica a conhecê-los na galeria fotográfica!

Texto: Cláudia Xavier

Fotografias: Gonçalo Pinto, Agr. 550 Manique, Agr. 680 Sátão, Agr. 744 Sines, Junta Regional de Lamego

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Website protegido por reCAPTCHA. Aplica-se a Política de Privacidade e os Termos de Serviço da Google.