Este ano realizou-se a 13ª edição do Eurosea, entre os dias 21 e 25 de setembro, em Puck, na Polónia.

Este seminário do escutismo marítimo europeu, que se realiza bienalmente, contou este ano com a presença de 15 países.

O CNE fez-se representar pelo Sérgio Nave, de Ferragudo e pelo Rui Garrido, de Nova Oeiras.

A partilha de ideias, experiências e formas de inovar o escutismo marítimo entre os participantes continua a ser a chave do sucesso para esta atividade. Além disso, a promoção do escutismo marítimo, o seu desenvolvimento na Europa e a comunicação internacional são temas debatidos.

O debate e a idealização de estratégias e objectivos de desenvolvimento para o escutismo marítimo na Europa foi orientado sob a forma de workshops, sobre vários temas entre os quais se destacam a qualidade no escutismo marítimo, a avaliação de risco das atividades náuticas e o crescimento do grupo de escuteiros marítimos.

Como já é tradição, o Eurosea tem sempre um dia de navegação para fomentar o espírito de tripulação entre os participantes. Este ano, a navegação realizou-se a bordo do Tallship “Zawisza Czarny”, no mar Báltico, entre Gdansk e Hel.

O próximo Eurosea 14 será em 2018, em Barcelona. A sua organização está a cargo dos novos elementos do grupo Odysseus, que também foi eleito durante o seminário da Polónia.

Texto de: Coordenação Nacional Marítima. Fotografia de: Organização do Eurosea.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *